Câmara Mirim chega a mais um Legislativo

             Esta já é o quarta Casa que adota o programa na região Noroeste do estado

             Campo Erê – O estudante Josué Rodrigues Weiss, 11 anos, frequenta a 6ª série em Campo Erê e foi um dos motivos que levou a criação do Programa Câmara Estudantil Mirim, um projeto aprovado por unanimidade pelos vereadores na sessão desta quinta-feira. Quem confessa é o autor do projeto e presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Leonir Teske (PSD). Ele disse que assim como Josué, que pediu pela implantação do Programa, centenas de outras crianças serão atendidas e terão uma formação mais consciente sobre seus direitos e deveres.

            O presidente da Associação de Câmaras Municipais do Noroeste de Santa Catarina (Acanor), Bolivar Turmina (PP), falou sobre o Programa nas outras Câmaras associadas, como São Domingos, São Lourenço do Oeste e Jupiá, esta em questão que é a sua Casa e a qual ele foi o autor do Parlamento Jovem. Falou ainda que é motivo de orgulho ter Campo Erê abraçando o projeto e se tornando a quarta Casa de Leis da região Noroeste a adotar a Câmara Mirim.

Presidente da Acanor, Bolivar Turmina, falou sobre o programa nas outras Câmaras

 

             Participação

             O vice-prefeito de São Lourenço do Oeste, Daniel Rodrigo Hippler (PP), autor do Parlamento Jovem em São Lourenço do Oeste, esteve presente na sessão e garantiu que o programa auxiliará na formação escolar e de cidadão de cada um dos participantes. O presidente da Câmara Municipal de Galvão, Ivânio José Martins (PSDB), participou da sessão junto com o colega vereador Roberto Bett (PMDB). Martins contou que também pretende implantar o programa em sua Câmara, inclusive já organizou encontros com a Acanor e os próximos acontecem nas escolas. O vereador de São Lourenço do Oeste, Assuero Isoton (PTB), também esteve na comitiva da Acanor.

            O vereador de Campo Erê, Milton Staudt (PP), ressaltou que promoveu uma discussão para a implantação do projeto ainda em 2009, sugerindo em ofício em 2011, mas por falta de verbas o programa não foi implantado por ele. Agora, ele parabeniza o presidente Teske por conseguir aprovar o projeto e se colocou a disposição para auxiliar no que for preciso.

            Ao contrário das outras três Câmaras, Campo Erê adotou uma nomenclatura diferente para o seu projeto, chamando-se então Programa Câmara Estudantil Mirim.

 

          

 

 

Projeto foi aprovado por unanimidade com oito votos, pois um dos vereadores não compareceu a sessão

 

              Sobre o projeto

 

            - A Câmara Estudantil Mirim terá nove vereadores e será constituída com alunos integrantes de escolas públicas e particulares, que estejam cursando da 5ª a 8ª série com até 15 anos de idade.

            - Cada escola terá no mínimo um representante titular e um suplente na Câmara Estudantil Mirim e, para completar o número de nove vereadores, as escolas com maior número de alunos terão três ou mais representantes.

- O mandato será de um ano e a sua função será considerada de interesse educativo e participativo e não será remunerada. O vereador poderá ser reeleito para mais um mandato.

- Perderá o mandato caso deixe de estudar, na ausência de três reuniões ordinárias e extraordinárias, sem a devida justificativa ao plenário, e outras ocorrências consideradas graves pelo plenário.

 

Presidente da Acanor, Bolivar Turmina, entrega o regimento interno do Parlamento Jovem ao presidente do Legislativo de Campo Erê, Leonir Teske

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Angela Maria Curioletti - Assessora

Página inicial